8/30/2010

[TELECO] O Homem Gol



Uriel Fernandes,Teleco

“A esfera desce do espaço, veloz ele a apara no peito e a pára no ar, depois com o joelho a dispõe à meia altura, onde iluminada a esfera espera o chute que num relâmpago a dispara, na direção do nosso Coração”
Ferreira Gullar

Nas palavras que compõe a poesia de Gullar fica retratada de forma ímpar sua jogada mortal, assim de virada, girando o corpo no ar, golpeando de forma inapelável para o fundo das redes, mas não somente assim, também de cabeça, e também com os pés.

Em se tratando de gols, Uriel Fernandes, o “Teleco” foi e é até hoje, insuperável na média de tentos marcados. Foram 254 gols em 266 partidas, somando a incrível média de 0,95 gol por jogo, para quem acha que é pouco, basta verificarmos os números de Pelé que marcou 1281 gols em sua carreira, em 1375 partidas, conseguindo uma espetacular média de 0,93 gol por jogo, desta forma “Teleco” supera inclusive a média do Rei do Futebol, façanha única, que lhe rendeu o apelido de “O Homem Gol” 

A Tradição da Estréia


Ainda era década de 30, mas a tradição de derrotas em estréia de grandes jogadores pelo Corinthians já imperava, assim em 16 de Dezembro de 1934 entrava pela primeira vez em campo “Teleco – O Homem gol do Timão” em um jogo amistoso interestadual contra o Vasco da Gama do Rio de Janeiro, uma passeio carioca, 5x0.

Mas uma semana depois, ninguém mais se lembrava da fatídica partida, pois em 23 de Dezembro de 1934 o Timão, com Teleco em campo, venceria o Rival “Palestra” pelo placar de 1x0 e uma semana depois em outro amistoso estadual, o Timão goleava a Portuguesa Santista pelo placar de 4x1, agora sim, com 2 gols de Teleco.

Botando o Boca para Correr

A imponência do Boca Juniors e o tradicional respeito dos times Brasileiros em enfrentar os “Xeneizes” já atravessa o século, mas em meados da década de 30, mais precisamente em 10 de Fevereiro de 1935 o Timão tirou a pose dos Argentinos, que em excursão ao Brasil já haviam vencido Botafogo por 4x0, São Cristovão por 6x1 e empatado com Palestra e Vasco. No amistoso internacional com o Timão, porém, quem deu as cartas foi o mosqueteiro, que venceu por 2x0 e poderia ter vencido por um placar ainda maior, não fosse a deselegância do time Argentino em abandonar a partida após a marcação de uma penalidade máxima, “Teleco” esteve em campo e ajudou a botar o Boca para correr, corre Boca...

A Doce Vingança de uma Virada Histórica

Fim da década de 20 e início da década de 30 o Timão já começava a ostentar o título de “Time da Virada” o Vasco da Gama que já havia experimentado uma virada sensacional em 1929, agora tomava outra histórica, em um amistoso interestadual, realizado em 20 de outubro de 1935, após estar vencendo o jogo por 3x0 acabou sucumbindo ao poder ofensivo do Timão e perdeu o jogo pelo placar de 3x4, claro, 2 anotados por “Teleco” que se vingava da derrota acachapante em sua estréia.

Uma Grande Invencibilidade

A partida amistosa contra a Portuguesa Santista em 08 de Dezembro de 1935 marca o início de uma fase avassaladora do Timão, vitória do Alvi Negro pelo placar de 1x0, gol de Tedesco, após esta partida, o Timão voltaria a perder um jogo, apenas 1 ano e três meses depois, ao todo foram 35 jogos sem derrota, sendo 29 vitórias e 6 empates, Teleco cansou de balançar as redes. 
1936 – Um Ano de Contrastes

Teleco afinado dentro de campo começa a fazer jus ao título de “homem gol” do alvinegro, fez 2 contra o Hespanha, 3 sobre o São Paulo, mais 3 sobre o Estudantes, 2 contra o Palestra, 3 contra o Santos, e o Timão colecionando vitórias.




Cada vez com a pontaria mais afiada, o Campeonato avança e Teleco marca mais 5 numa partida contra o Bahia que o Timão venceu por 8x1, repete o feito contra o Lusitano nas goleada de 8x0, mas o Timão perde força na reta final do Paulista de 36, disputado no inicio de 37 e acaba perdendo o título para o Palestra.

Da Perda do Título 36 para a Arrancada do TRI em 37/38 e 39

Se o Timão perdeu o Título Paulista de 36, Teleco não perdeu o faro de gol, azar do SPR que em 22 de Agosto levou uma goleada do Timão por 6x2, Teleco marcou 5 vezes, 4 deles de cabeça, recorde que nem “Baltazar – O Cabecinha de Ouro” conseguiria quebrar anos mais tarde.  


Mesmo Amarrado Teleco Decide


Esta é mais uma daquelas partidas que entram para a história, não apenas por ser um clássico contra o maior rival, o Palestra, nem por ser uma partida chave que decidiria as ambições de cada clube naquele certame, mas pela determinação e também pelo folclore que o espetáculo ganhou com os detalhes que anteciparam o confronto do Derby que foi realizado em 14 de Novembro de 1937.

O Palestra ainda saboreava o título de 36 conquistado na fase final do torneio sobre o Timão e nesta partida jogava sua sorte no certame de 37, Teleco, “O Homem Gol” do Corinthians encontrava-se machucado e fora da partida, seu substituto foi escolhido, Zuza, que ao receber a noticia de que substituiria o artilheiro alvinegro, simplesmente “desmaiou”

O jeito então foi chamar Teleco, que entrou em campo com uma camisa comprida, para esconder a “taquara” de bambu que amarrava seu braço machucado. Aos 20 minutos da primeira etapa, os “Deuses” da bola iluminam o caminho do artilheiro, Teleco marca para o Corinthians em pleno Parque Antarctica, retira o sorriso do rosto verde e praticamente sela o destino do título de 37, que viria logo a seguir, após um empate contra o Juventus em 0x0 e uma vitória de 3x0 sobre o Estudantes.

O Título Paulista de 37 foi o primeiro do Timão na era Profissional, mas ficou marcado pela destreza do artilheiro que mesmo amarrado decidiu a sorte do Campeonato. 

Confusão, e o Timão é Bi Campeão!

O Campeonato Paulista de 38 foi decidido em turno único, devido à Copa do Mundo, o torneio se iniciou em meados de 38, mas foi encerrado apenas em Abril de 39, ficando paralisado por quase 7 meses. Na decisão do título chegaram Corinthians e São Paulo e como o Campeonato, o “Majestoso” que decidiu o título do certame também fora paralisado devido uma forte chuva que atrapalhou o jogo em Abril de 39, ocasião em que o Tricolor vencia pelo placar de 1x0.

Dois dias depois, as equipes voltam a campo com os portões abertos e o jogo é reiniciado, aos 20 minutos da etapa final, “Carlito” manda a bola para as redes Tricolor, confusão no Parque São Jorge, os Tricolores reclamam que Carlito usara a mão para enfiar a bola nas redes, muito ruído e reclamação, abafadas pela festa do Bi Campeonato Paulista, de forma invicta, Teleco escrevia mais um capítulo de sua história no Corinthians.

A Epopéia Corintiana na era Profissional

O Título Paulista de 37 fora praticamente decidido no clássico contra o Palestra, o jogo que Teleco, mesmo amarrado, mandou a bola para as redes, o Bi Campeonato Paulista de 38, conquistado em meados de 39 foi decidido contra o São Paulo e recheado de confusão após um possível gol de mão de Carlito, e para fechar a Tríplice Coroa Alvinegra, o Tri Campeonato Paulista não poderia ser mais brilhante, que uma conquista com direito a goleada diante do Santos.

Em 30 de Dezembro de 39 o Timão entra em campo, novamente no Parque São Jorge, novamente em uma final, desta vez o adversário é o Santos, novamente Teleco manda a bola para as redes duas vezes, Carlinhos fecha o placar com mais dois gols, Raul ainda descontaria para o Peixe, mas a festa já acontecia nas alamedas do Parque São Jorge, ninguém segurava o Timão na década de 30, ninguém segurava Teleco – O Homem Gol. 
Timão é Protagonista na Inauguração do Pacaembu

O jogo inaugural do Estádio Paulo Machado de Carvalho foi entre Palmeiras e Coritiba, porém esta partida foi “apenas” a preliminar do jogo “principal” entre Corinthians x Atlético Mineiro em jogo válido pela Taça Cidade de São Paulo, nesta ocasião o Timão venceu o Galo pelo placar de 4x2, Teleco não marcou nesta partida, mas uma semana antes, marcou o gol da vitória em um amistoso estadual diante do Palestra Itália, mais uma vitória do Timão sobre o rival e mais um gol decisivo de Teleco.

Último Derby no Parque São Jorge Teve Galo Verde Depenado

O Timão não conseguiu repetir o bom futebol dos três certames anteriores e em 1940 amargou apenas a quarta colocação no Campeonato Paulista, mas um jogo especial daquele ano ocorreu em 18 de Agosto no Parque São Jorge, este fora o último jogo entre os rivais no estádio do Corinthians.

A Torcida do Palestra levou um ‘galo’ pintado de verde para provocar a Torcida Alvinegra, azar deles, Teleco aos 10 minutos do primeiro tempo e aos 40 do segundo enterrou as pretensões Palestrinas e no final da partida, quem pagou o ‘pato’ foi o ‘galo’ que teve suas penas arrancadas pela Fiel, uma das penas do pobre galináceo encontra-se até hoje no Parque São Jorge, lembrança da última recepção.

*Legenda da imagem:
1940. "Penas", Corinthians 2 x 0 Palestra Itália, último jogo entre os dois times no Parque São Jorge.
Um torcedor palmeirense levou um galo colorido de verde. Com a vitória do Timão, o galo foi depenado pelos torcedores corintianos.  


O Último Título Paulista de Teleco Pelo Timão


No inicio da década de 40 o Corinthians ficou ainda mais fortalecido com craques como Jango, Dino e Brandão, mas Teleco ainda era considerado o principal atacante do Timão, tanto que na temporada de 1941 tornou-se o artilheiro do Campeonato Paulista com 26 gols que ajudaram o Timão a levantar mais uma taça.

A conquista veio de forma antecipada em um clássico contra o Santos na Vila Belmiro, no dia 28 de Setembro, os donos da casa saíram na frente com um gol de Carabina aos 20 do primeiro tempo, mas na etapa final o Timão virou o placar, Brandão aos 7, Servilio aos 20 e “Teleco” aos 28 minutos fez o gol do título, Gradim ainda descontou para o Peixe, mas a festa na Vila foi do Corinthians, Teleco ainda marcaria mais 4 gols na partida seguinte contra o Comercial e encerrava o ano com chave de ouro.

Rio São Paulo ou Quinela de Ouro?

Ainda sob o efeito da conquista do Campeonato Paulista de 41 o Timão iniciou o ano de 1942 de forma avassaladora, no Torneio Rio São Paulo ou “Quinela de Ouro” como também foi chamado reunia os três maiores clubes da Capital Paulista mais dois do Rio de Janeiro, Flamengo e Fluminense, o Timão não tomou conhecimento de ninguém, empatou na estréia com o São Paulo em 3x3, venceu o Fluminense por 2x1, empatou com o Flamengo em 1x1 e aplicou uma goleada no Palestra Itália, pelo placar de 4x1, Teleco, claro, marcou sua presença e também um dos gols do Timão, e de quebra, levantou mais um Taça para o Corinthians. 
A Despedida do Homem Gol

O último dos 254 gols marcados por Teleco o “Homem Gol” do Corinthians, foi anotado no dia 29 de Agosto de 1943 em partida amistosa o Timão venceu o São Bento de Sorocaba pelo placar de 5x1, Teleco fez o terceiro gol corintiano da partida.

E finalmente no dia 12 de Março de 1944 o Timão empatou em 2x2 com o Ypiranga e nos escanteios venceu por 4x3, conquistando o Torneio Inicio daquele ano, esta foi a última partida de Teleco com a camisa do Corinthians.

Curiosidades

Uriel Fernandes, o “Teleco” apelido que ganhou de sua avó, que nunca soube explicar o motivo, nasceu em Curitiba em 12/11/1912, Capital do Paraná, antes de vir para o Corinthians, indicado por Neco, ídolo do Timão na década de 20, atuava no Britânia Sport Club, um dos Times que deu origem ao atual Paraná Clube de Curitiba, Teleco atuou apenas pelo Britânia e pelo Corinthians em sua carreira.

Teleco foi o jogador Alvinegro que mais vezes se tornou artilheiro do Campeonato Paulista, foram 5 vezes, em 1935 com 9, gols, 1936 com 28 gols, 1937 com 15 gols, em 1939 com 32 gols e finalmente em 1941 anotou 26 gols, números que consolidaram o carinhoso apelido de “Homem Gol do Timão”

Teleco na sala de troféus

Após encerrar carreira e aposentar-se dos gramados em 1944, Teleco tornou-se funcionário do Sport Club Corinthians Paulista, tendo como missão cuidar da sala de troféus do Clube, troféus que ele inclusive ajudou a conquistar, permanecendo na função até o fim de sua vida. Teleco faleceu em Osasco, no dia 22 de Julho de 2000.  

Nenhum comentário:

Marcadores

a sua torcida faz isso (9) artilheiro (3) atlético-mg (4) atlético-pr (3) avaí (3) bahia (3) baltazar (1) basílio (2) baú do Corinthians (21) bola cheia (44) bola murcha (44) botafogo (5) brasileirão (10) brasileirão 2011 (38) campeão (21) casagrande (1) centenário (101) cinquentenário (1) Cláudio (2) copa do brasil (4) corinthians (111) corintiano (9) coritiba (3) cruzeiro (3) democracia (2) deus da raça (2) dida (1) dinei (1) divino (1) doutor da fiel (2) dualib (3) edílson (1) embaixadinhas (1) especial ídolos (19) eterno 7 a 1 (3) fatos marcantes (10) Fazendinha (2) ficha técnica (79) flamengo (5) fluminense (3) fundação (3) gamarra (1) garrincha (1) Gaviões da Fiel (7) gilmar (1) goleada (4) gols (3) grêmio (3) grená (1) herói de 77 (1) história (1) idário (2) ídolo (37) internacional (4) invasão (3) jejum (2) libertadores (6) Luizinho (2) luxemburgo (1) maior artilheiro (1) maracanã (2) maradona (1) marcelinho carioca (5) marcelo djian (1) melhor (2) meninos do parque (1) mosqueteiro (1) msi (3) mundial (3) muralha (1) muralha da fiel (1) Neco (4) nelsinho (1) neto (3) oscar (1) oswaldo brandão (1) oswaldo de oliveira (2) palestra itália (3) palhinha (1) palinha (1) palmeiras (8) pareira (1) parque são jorge (1) paulista (3) paulistão (6) paulo borges (1) pelé (3) pequeno polegar (1) ponte grande (1) ponte preta (4) portuguesa (2) presidente (4) rato (1) rebaixamento (2) recordista de jogos (2) recorte (3) república popular do corinthians (1) ricardinho (1) rincón (1) rival (2) rivellino (4) ronaldo (2) ronaldo fenomeno (1) ruço (1) santos (11) são paulo (10) seleção brasileira (4) servilio (1) sócrates (3) tabu (3) taça do mundo (1) teleco (3) tevez (1) tiao (1) timão (4) títulos (2) torcida (12) Torino (2) torneio (2) túlio (1) tupãzinho (1) uniforme (2) vaguinho (1) vasco (6) vicente matheus (2) vila belmiro (1) wladimir (3) xodó da fiel (1) zé maria (1) zenon (1) zuando os adversários (1)

Arquivo